Compartilhe!

Diante do inegável e acelerado declínio cultural da civilização ocidental nas últimas gerações, faz-se inevitável a pergunta: como chegamos a esse ponto? Como passamos do amplo horizonte vital das antigas civilizações a essa espécie de sentimentalismo mesquinho e narcisista?

Em busca das raízes da nossa crise atual, James Burnham analisa as definições antiga e moderna da ideologia progressista, mostra suas características, crenças e mazelas, e conclui que as tendências suicidas ocidentais residem não tanto na falta de recursos ou poderes militares, mas na erosão dos fatores intelectuais, morais e espirituais da sociedade ocidental.

A análise que o autor faz das deformações atuais de ordem moral, existencial e política se prova quase profética, pois não se limita a atacar o comunismo, mas aponta muitas faces do totalitarismo e critica a possível “revolução administrativa”, que tem por objetivo banir a liberdade em nome da eficiência e do controle burocráticos.

Muitos concordarão, outros terão um acesso de fúria desvairada, mas ninguém poderá ignorar a amarga profecia de James Burnham: o esquerdismo é a ideologia do suicídio ocidental.

“Um ótimo livro para entender como a esquerda mundial absorveu e passou a controlar cultura, imprensa, informação em geral, etc. Leitura obrigatória para entender como a esquerda se enfronhou em todos os cantos e tornou o espectro de pensamento corrente, ainda que as pessoas não percebam.”

Ficha Técnica:
ISBN: 9786587138121
Editora: Vide Editorial
Dimensões: 16.00 x 23.00 cm
Páginas: 331
Idioma: Português